Quando éramos jovens e achávamos que íamos “rabiscar” o mundo, criamos nossa própria editora fictícia, a PdComics (o PD era uma piada interna com o curso de Processamento de Dados, que fazíamos na época). Pelo selo da nossa editora criamos vários personagens e algumas histórias, que foram sendo reformuladas com o tempo e, inclusive, em breve colocaremos algumas artes com as versões 2013 dos personagens. O primeiro deles foi o Velociraptor, meio homem, meio dinossauro, vítima de uma experiência genética.

Mas a arte de hoje fica a cargo do primeiro personagem que eu criei, o Trauma. A história dele é interessante. Logo que nos conhecemos, percebi que o Admilson tinha talento e, como tínhamos algo em comum (gosto pelas HQs), percebi que ele tinha chances de chegar a algum lugar e eu, no máximo, ir de carona. Tratei de querer logo criar um personagem e, do nada, ele apareceu com o nome: Trauma. Em cima disso, criei a história de um adolescente normal que de repente acorda com poderes mirabolantes e se descobre escolhido por um mago poderoso que viveu no passado para lutar contra os grandes problemas que o mundo enfrentaria em nossa época. O nome Trauma vem do fato de sua aracnofobia, trauma conseguido na infância após ter sido picado por uma aranha, ter sido usado para criar seus poderes, transformado em energia. Embora seus poderes nada tenham a ver com a aranha ou com o Homem-Aranha, o design ficou mesmo um pouco (um pouco?) parecido, já que era minha principal referência, então, a semelhança com o aracnídeo da Marvel não é mera coincidência. Aos poucos fomos dando aspectos diferentes e a personalidade e as histórias em quase nada lembravam o super-herói das teias, mas o gosto de comida requentada é inevitável (fora o Deadpool, que tem a mesma cara). Enfim, enquanto a versão 2013, refeita, revista e repaginada não chega, fiquem com uma versão original do Trauma, vinda direto dos anos 90. Só faltou o sobretudo, item indispensável para ser Badass na década de 90…

TRAUMA